Arquivo | abril 2014

Vocações

 

vocações

Vou deixar que o próprio Catecismo da Igreja Católica nos fale.

“Deus, infinitamente perfeito e bem-aventurado em Si mesmo, num desígnio de pura bondade, criou livremente o homem para torná-lo participante da sua vida bem-aventurada. Por isso, sempre e em toda a parte, Ele está próximo do homem. Chama-o e ajuda-o a procurá-Lo, a conhecê-Lo e a amá-Lo com todas as suas forças. Convoca todos os homens, dispersos pelo pecado, para a unidade da sua família que é a Igreja.” (1)

Matrimonial:
“O Matrimônio assenta no consentimento dos contraentes, quer dizer, na vontade de se darem mútua e definitivamente, com o fim de viverem uma aliança de amor fiel e fecundo.” (1662)
“Chamados a dar a vida, os esposos participam do poder criador e da paternidade de Deus (115). No dever de transmitir e educar a vida humana – dever que deve ser considerado como a sua missão própria – saibam os esposos que são cooperadores do amor de Deus criador e como que os seus intérpretes. Cumprirão, pois, esta missão, com responsabilidade humana e cristã “. (2367)

Sacerdotal:
“Para anunciar a fé e implantar o seu Reino, Cristo envia os Apóstolos e respectivos sucessores. Fá-los participantes da sua missão. É d’Ele que uns e outros recebem o poder de agir em seu nome.” (935)
“A vida consagrada a Deus caracteriza-se pela profissão pública dos conselhos evangélicos de pobreza, castidade e obediência, num estado de vida estável reconhecido pela Igreja.” (944)
“Entregue a Deus, amado sobre todas as coisas, aquele que o batismo já a Ele tinha destinado, encontra-se, no estado de vida consagrada, mais intimamente votado ao serviço divino e dedicado ao bem de toda a Igreja”. (945)

Religiosa:
“Nascida no Oriente, nos primeiros séculos do cristianismo e vivida em institutos canonicamente erigidos pela Igreja, a vida religiosa distingue-se das outras formas de vida consagrada pelo aspecto cultual, pela profissão pública dos conselhos evangélicos, pela vida fraterna em comum e pelo testemunho dado a respeito da união de Cristo e da Igreja” . (925)
“A vida religiosa faz parte do mistério da Igreja. É um dom que a Igreja recebe do seu Senhor, e que oferece, como um estado de vida estável, ao fiel chamado por Deus à profissão dos conselhos. Assim, a Igreja pode, ao mesmo tempo, manifestar Cristo e reconhecer-se como Esposa do Salvador. A vida religiosa é convidada a significar, nas suas variadas formas, a própria caridade de Deus, em linguagem do nosso tempo.” (926)

Leiga consagrada ou Instituto Secular:
“Instituto secular é o instituto de vida consagrada, em que os fiéis, vivendo no século, se esforçam por atingir a perfeição da caridade e por contribuir, sobretudo a partir de dentro, para a santificação do mundo.” (928)
“Os membros destes institutos, mediante uma « vida perfeita e inteiramente consagrada [a esta] santificação »,tomam parte na tarefa de evangelização da Igreja, « no mundo e a partir do mundo » onde a sua presença atua « à maneira de fermento ». O seu testemunho de vida cristã visa ordenar segundo Deus as realidades temporais e impregnar o mundo com a força do Evangelho. Assumem, por vínculos sagrados, os conselhos evangélicos e mantêm entre si a comunhão e fraternidade próprias do seu teor de vida secular” (929)

Seja qual for o caminho, todos têm o que eu costumo chamar de vocação universal ou primeira vocação que é a santidade. Que cada um reze pedindo a Deus que lhe mostre o caminho e lhe conceda as graças necessárias para viver a sua vocação.

Salve Maria!

Anúncios

Como estou me vestindo?

Como estou me vestindo?

Está de volta o blog Tirinhas da Maria!!

Depois posto uma nota explicando o motivo da ausência. Para não perdermos tempo, aqui vai a primeira postagem deste ano que é uma tirinha resgatada da página ainda do ano passado. Mas em breve teremos novidades saindo do forno de 2014.

 

Em primeiro lugar, gostaria de fazer um lembrete. Como todos já devem ter notado, esta é uma página católica! O nosso tema principal é a modéstia feminina. Graças a Deus muitas moças católicas decidiram e outras estão decidindo mudar o seu modo de vestir, para um modo mais recatado e modesto. É para essas moças que a página dá uma atenção especial, pois elas têm algumas (ou muitas dúvidas) e precisam de sugestões. A nossa página está aqui para ajuda-las!

Portanto, as outras moças – mesmo católicas- que não se comprometeram em trocar as calças por saias e vestidos, não se sintam ofendidas ou atacadas com o nosso apostolado. Pois não temos a intenção de provoca-las, e tão pouco estamos aqui para julgá-las, pois, quem somos nós? Com a divulgação e incentivo do piedoso uso da saia e vestidos modestos não estamos querendo dizer que as outras moças são menos virtuosas ou mais pecadoras. Cada uma deve conhecer a própria consciência.
Resumindo, queremos apenas fazer apostolado! Incentivar algo bonito, feminino, agradável e saudável.
Bom, agora voltemos à tirinha de hoje. Ela nos fala dos detalhes que devemos ficar atentas.
Saia e vestido não são sinônimos de modéstia no vestir. Pois não adianta nada eu trocar a calça jeans por uma minissaia, não é mesmo? E se eu trocar por uma saia na altura do joelho, mas sendo que esta é justinha, vai adiantar muito também? Não! Não vai adiantar, pois, além de contornar todas as curvas marcando o corpo, ela pode até permitir que se mostre o que não é devido, ao sentar. O mesmo serve para o vestido, sendo que a ele pode se aplicar tanto as regras das saias quanto das blusas. Cuidado com as transparências e com os decotes, isso é muito importante! Os decotes são um perigo, e podemos estar sendo vítimas deles sem nos darmos conta. Fiquemos sempre atentas! Pensando no bem do nosso próximo e no amor a Deus, nosso Senhor!
Que Nossa Senhora abençoe a cada um de vocês, e que Ela nos ajude nessa caminhada.

Salve Maria!